- Porto Alegre

Novo concurso do IMESF, realizado novamente pela FUNDATEC, mostra decisão política suplantando o interesse público e o compromisso com os atuais aprovados.

Para cargos de médicos, com alta taxa de pedidos de demissão, compreende-se a situação de manter um cadastro reserva, no entanto, nada explica o motivo de manter aumentando o cadastro reserva de agentes comunitários de saúde.

Há concurso válido, que pode ser prorrogado, mas causa estranhamento que se gaste dinheiro de candidatos num momento grave da economia para manter um cadastro reserva ampliado.

A única coisa que os candidatos podem fazer é pensar bem se vão dar o dinheiro para a organizadora do concurso, pois é a única que lucra com a formação de Cadastro Reserva, nem o serviço público melhora, nem a vida do candidato que termina ao fim da validade do concurso sem direito a nada.

Só o fracasso financeiro de concursos para cadastro reserva pode tornar a decisão de criá-los e realiza-los infrutifera.